TERRORISMO IMOBILIÁRIO: ARTIGO

Quem desembarca no aeroporto Dois de Julho (a que deram outro nome, parece) e se dirige de automóvel para Salvador, mal sabe que muito perto desse ponto de partida passa ao lado de um crime. O visitante atraído pela beleza da cidade e pela fama cordial dos baianos escapa, assim, de sofrer um desengano. Se pudesse ver o espetáculo escondido por um resto de mato, o turista sensível talvez retornasse imediatamente, com o estômago embrulhado e a sensação de que a mítica Boa Terra está sendo violentada. Não há perigo: uma tênue cortina verde na Avenida Paralela encobre a visão obscena. Talvez essa faixa de arvoredo tenha sido poupada estrategicamente…

Baixe/leia aqui o artigo na íntegra em PDF

Anúncios