Hinos órficos: Perfumes.

 

capa_hinosorficosweb_1_ (1)Esta é a primeira tradução para a língua portuguesa de uma obra prima da antiguidade tardia: a coletânea dos hinos órficos intitulada Perfumes, nome referente aos aromas com os quais se prescrevia incensar os altares dos deuses celebrados nos mistérios dionisíacos cuja instituição se atribuía a Orfeu. Este livro famoso, escrito, segundo os especialistas, entre o segundo e o quarto século de nossa era, numa cidade grega da Ásia Menor, tem fascinado muitas gerações. O interesse que suscita não se baseia apenas em sua beleza literária. Os poemas que encerra constituem um documento de extraordinária importância para os historiadores da religião, da cultura e do pensamento ocidental, em particulara para quantos se interessam por suas fontes helênicas e greco-roomanas. Além dos historiadores e dos estudiosos da literatura antiga, muitos sábios (filólogos, filósofos e teólogos, entre outros) encontram nesta obra rica matéria para reflexão. Os hinos órficos podem ser considerados joias da poesia e da mítica pagã do Ocidente, um tesouro religioso que teve forte influência sobre o cristianismo. A tradução foi feita diretamente do original grego e se apoiou em estudos cuidadosos dos textos, analisados nos comentários e notas.

 

 

Editora: Odysseus Editora
Autor(es): Tradução, introdução, comentários e notas de Ordep Serra.

751 páginas de texto, 14 de ilustrações (“Caderno de Imagens”).
1ª edição (2015)
ISBN: 978-85-7876-037-3

Anúncios