Veredas: Antropologia infernal

Livro publicado pela Editora da Universidade Federal da Bahia, em 2002. Encerra dois ensaios. O primeiro, intitulado “Arqueologia do Símbolo”, tem como ponto de partida um exame semiológico da estrutura simbólica do sýmbolon no horizonte da cultura helênica. Busca mostrar seu amplo alcance e sua radicação profunda no mundo clássico, onde o esquema do sýmbolon é muito mais que um artifício heurístico e sua matriz pode encontrar-se inscrita na tessitura do relacionamento social, dando-se a ver como um paradigma com aplicação em diversos domínios (na esfera política, na jurídica, na econômica e na religiosa etc.) e configura modelos de realidade encontráveis em antropogonias e cosmogonias. Analisa a base analógica do sýmbolon  relacionando-a com uma forma de produção de inteligibilidade que tem alcance transcultural. O segundo ensaio focaliza o tema das catábases, mostrando sua grande expressão no mundo antigo (onde tem os mais antigos registros em mitos sumero-acadianos e marca de um modo especial as epopéias clássicas); passa, depois, a demonstrar a presença do tema das catábases na atualidade, na literatura ocidental moderna e contemporânea, abordando, a propósito, as obras de Borges, Pávich e Lewis Carrol, que podem iluminar-se com uma releitura da grande obra dantesca; por fim, o ensaio busca destacar as implicações filosóficas do tema das catábases, tomando como ponto de partida a reflexão de Schelling na Philosophie der Mythologie.   

 

Editora: EDUFBa
Autor(es): Ordep Serra

180 páginas
1ª edição (2002)
Assunto: Antropologia, Antropologia da Literatura, Sociologia Urbana,  Antropologia da Religião, Simbologia, Sinais e símbolos, Arqueologia, símbolo e simbolismo; comunicação e reciprocidade; catábases; sono , vigília, sonho; tempo e mitologia.

ISBN: 
852320266-8

  • Baixe aqui um trecho em PDF
  • Anúncios